segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Pensando...



Olá Habibas! Tudo bem?

Meus últimos posts foram curtos e eu não estava muito animada para escrever, me desculpem. Mas acho que vocês já imaginam o que esta acontecendo..

Por uma lado estou feliz porque vim para o Egito, realizei meu sonho de conhecer meu habibi e me casar e estou gravida, mas por outro lado estou com medo dele ir para o exercito, não estou me adaptando aqui no Egito e ainda por cima me sinto insegura em relação aos médicos e consultas que faço, porque tudo é diferente, o inglês deles é péssimo (com muito sotaque) e eu não entendo quase nada. Sempre que saio das consultas meu habibi  precisa me explicar tudo detalhadamente e mesmo assim não me sinto segura.
Uma menina brasileira que mora há muitos anos aqui me contou que foi para o Brasil para ter o bebê dela, porque aqui os hospitais particulares são como os públicos do Brasil e os públicos daqui são piores do que o do Brasil.. Então vocês imaginam meu medo, ne?
As coisas são muitos diferentes e se adaptar a tudo isso é complicado, ainda mais agora, gravida..

Emagreci muito porque não gosto da comida daqui, em casa tento fazer coisas mais parecidas com a comida brasileira mas mesmo assim não é a mesma coisa, o gosto é diferente.
Sinto saudade dos meus amigos, das pessoas que amo e não me sinto em casa aqui..
É estranho, mas não sei explicar..

Quando cheguei aqui fui bem recebida pela família dele, mas eu sei que eles não gostam de mim o bastante para me aceitar de verdade.
Não sei explicar, mas quando soube que a família dele queria que ele casasse com a prima dele as coisas mudaram dentro de mim.
Eles me receberam bem, me deram presentes e tal, mas eu não me sinto parte da família, sabe? Por isso não gosto de ir para Zagazig. Lá eu preciso estar de abaia (vestido longo de manga comprida) e hijab (lenço no cabelo) o tempo (até dentro de casa). Eles observam a minha forma de sentar, porque não consigo ficar horas sentada igual a eles e ate minha forma de comer, porque gosto de comer de talher e um prato só meu e lá eles comem todos juntos com as mãos em travessas, as vezes usam colher (lá é assim porque eles moram em uma vila de área rural). Quando vou na rua todo mundo me olha e me sinto incomodada, por isso as vezes prefiro ficar 24 horas dentro do quarto, mesmo sabendo que eles devem comentar algo sobre isso. Consigo ficar no máximo 5 dias em Zagazig, no 4º dia já estou literalmente chorando para voltar para nosso apartamento.
Mohamed e eu alugamos um apartamento e moramos em um bairro novo chamado Al Abour. Aqui tem shopping, lojas, supermercado e pessoas que aceitam melhor alguém diferente, ainda é diferente do Brasil, mas me sinto um pouco melhor.

Enfim... Estou triste porque quando conversamos com a família dele sobre a ideia de eu ir para o Brasil para ter o bebê lá, a mãe dele disse que acha que vou sumir com o filho dele.. (Vocês conseguem imaginar como me senti, ne?)
Além disso, quando descobrimos que meu bebê é MENINA, isso não foi muito comemorado... Eu sabia que a família toda (irmãos, irmãs, mãe e pai) queriam menino, mas nunca imaginei que eles não comemorariam..
E agora Mohamed veio me dizer que se formos para o Brasil, quando a menina completar 15 anos, vamos voltar para o Egito e vamos morar aqui.
Desculpe, mas não quero viver aqui para sempre. Não gosto daqui, não me habituei, não sou plenamente feliz e não quero ter uma vida igual a da maioria das mulheres aqui (ficar em casa cuidando de 5 crianças e limpando tudo, dependendo 100% do marido).
Aqui eu não posso fazer nada sozinha porque não falo árabe e me sinto uma inútil.
Quero voltar para o Brasil, terminar minha faculdade de jornalismo, ter um bom emprego e ter uma vida que considero normal. Apenas isso. Tenho certeza que podemos educar nossa filha bem e fazer dela uma boa muçulmana sem precisar viver no Egito.

Estava pensando esses dias...
Sabe... toda semana vejo pessoas se casando aqui perto de casa porque tem festa, as pessoas soltam fogos, tem musica alta, carros buzinando,  gente feliz..
E eu não posso mentir, me dá um pouquinho de inveja.. Não é por mal, mas é verdade.
Não tive nada disso. Não tive festa (ele comprou apenas um bolo e comemos todos juntos (a família dele e nós dois), não tive vestido de noiva, nem uma aliança... Isso me dói um pouco... Mês que vem deve acontecer o casamento do irmão dele com uma Egipcia (vizinha da família dele), e as coisas serão diferentes, vai ter festa, vai ter tudo que ela merece, e eu não faço a mínima questão de ir.
Eu me pergunto... Porque a maioria das brasileiras que casa com eles aqui não tem nada disso? Apenas um papel assinado e pronto!
Será que a gente não merece ter o que elas têm?
Quando eles casam com a gente, além de ganharem uma mulher mais inteligente, mais organizada, com perspectiva de vida, eles ganham uma facilidade para conseguir o visto para ir ao Brasil, o que é muito bom para o futuro dos dois, porque a vida no Egito não está fácil. Muita gente sem emprego, tudo aqui está muito caro... E o que a gente ganha?
A gente não exige joias, carro, apartamento, nada disso, e a maioria das mulheres aqui só casa se o futuro marido der isso tudo.
Vocês pensam que essa historia de DOTE é mentira?
Não! É verdade! E é exatamente por isso que tem muito egípcio solteiro, porque eles não tem condições de dar o dote que as mulheres exigem...

Enfim... estou desanimada e apreensiva em relação a historia do exercito e não sei o que fazer da minha vida, e quando olho para o lado e vejo ele conversando com os amigos na internet ou vendo vídeos no youtube penso: “acho que estou me preocupando demais porque ele nem está pensando nisso”.

Vamos esperar essa resposta e vamos ver o que faço da minha vida. Só espero que Deus me dê o melhor caminho.

Beijos, Mary

HABIBI NO EGITO (grupo reservado para meninas no FACEBOOK)
http://www.facebook.com/groups/habibinoegito/

Página para vc curtir e receber novidades:
http://www.facebook.com/HabibiNoEgito1

29 comentários:

  1. Forças Maryana, muito bom sua iniciativa em compartilhar sua experiêcia com meninas que sonham em vir aqui e não pensam o quanto é diferente, não se preocupe tanto com os médicos, hospitais tenha confiança em Deus ele tudo fará ... beijos Mary tudo de bom tenha ânimo,pois se ficares tristinha seu bebe senti tbm ... <3 (Cristiane Hassan santos )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah lindona faço o que posso...rs obrigada pelas palavras. bjsss

      Excluir
  2. Forças para vc. Maryem ,eu sei como é não se sentir parte da família do esposo,pois já passei por isso e foi bem parecido com o seu caso.Mas,tudo passa ... Vai dar tudo certo ,vc vai ver ...Estamos torcendo por você e sua família. Deus abençoe vcs.

    ResponderExcluir
  3. Olá Mariana, tudo bem? Você não me conhece, mais eu sempre acompanhei o seu blog e tive esse interesse particular porque tive um "namorado" egipcio da mesma região do seu marido. Não nos conhecemos pela internet...enfim, queria te dizer para avaliar muito bem as suas escolhas nesse momento e pensar principalmente na sua filha, que é a pessoa mais importante da sua vida. Eu tenho pedido muito a Deus para iluminar a sua vida, mesmo antes quando não você ainda não estava no Egito. Se quiser conversar comigo, me passa o seu msn que te adiciono.

    Um grande beijo para vocês duas e fiquem com Deus!
    Ge

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. brigada pelo carinho linda! tenho rezado mto e tenho certeza que Allah vai me ajudar. bjsss

      Excluir
  4. Oi Marym,
    Obrigada por compartilhar sua vida com a gente, sempre com muita sinceridade.
    Você nos ajudar demais com as suas experiências.
    Que Deus te ilumine e que você continue sendo forte e acreditando no melhor.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho minha linda!
      Não posso iludir ng ne?
      tem que ser sincera... bjsss

      Excluir
  5. oi amiga ,meu marido também, é "osso"...anos de tradição machista,difícil pra nós sensíveis ,confesso que as vezes já quis "chutar o balde",mas o amor vencerá,se Deus quiser vamos superar tudo,beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade minha linda tem que amar e ter mta paciencia...rs bjsss

      Excluir
  6. Querida, lhe desjo LUZ. Que Deus ilumine seu caminho pra voce ver bem e nitidamente as escolhas que vai fazer. Tenho certeza que ELE quer o bem nao so de vc como de sua filha, marido e todos seus. Saiba que existem momentos turbulentos , mas so momentaneos...tudo se resolvera e para seu bem. Tenho recebido mensagens de um rapaz que conheci em Foz do Iguacu e ele esta no Libano _ Nabatieh... nao sei o que fazer em relacao ameus sentimentos por ele pois tenho duvidas que perto da suas nao sao nadaa. mas sua historia de vida e um exemplo. Continue com esta forca e garra...se faltar...com certeza Deus vai lhe dar ...Amem ICVA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa minha linda td de bom para vc e boa sorte com o rapaz. bjs

      Excluir
  7. Qdo a sogra disser q vc vai ficar com a filha e fugir, vc pode sugerir de ela vir pra ca com vc, pra te ajudar,,,, assim, so pra ver qual é a dela.
    Ela vai ver os 'pecados' daqui, mas vai ver q a vida aqui no Brasil tem mais conforto.
    E se vcs decidirem morar aqui ate os 15 anos da menina, acho q ela vai estar bem habituada aqui, e nao vai querer morar no egito,,, ai, se seu marido for um pai bem 'babão' vai atender o pedido dela e ficar aqui no Brasil...
    Nao sofra de vespera ok,,, tente ter uma gravidez bem tranquila, apesar de tudo.

    Força!

    ResponderExcluir
  8. Oi Lindona,

    primeiro de tudo, vc está gravidinha, e gravidinha fica mais sensível, mais chorona, mais tudoo.rsrsrs. Se vc já estava com todos esses sentimentos antes, agora só piora um poquinho.rsrs.

    Querida, deixa as coisas acontecerem, não queira antecipar, qdo chegar, se chegar, vc pensa a respeito. Não brigue, discuta, fique triste, com os costumes, com a família dele, com o q ele pensa ser bom pra filha de vcs daqui a 15 anos. Até lá muuuita coisa já aconteceu. E se os médicos, exames daí são ruins, quem sabe não é um menino, e não uma menina? rsrsrs

    Fique calma, relaxe nessa momento, se aparecer algum problema aí vc pensa a respeito. Nós mulheres temos o defeito de imaginar o q pode acontecer ou não alí na frente, e os homens não, por isso eles não sofrem, eles não ficam pensando no q pode acontecer. Só o fazem qdo o problema já chegou, e nesse momento vc não pode nem deve ficar assim.

    Qto a família dele, tenha paciência, com o tempo eles vão ver a sua dedicação, o seu amor, e vão, dia após dia reconhecer o seu valor. Trate eles maravilhosamente bem, como se vc nem sentisse diferença, como se eles sempre sonhassem com vc para esposa do filho deles. Com doçura vc vai ganhar eles. ;)

    Qto a ter seu bebê aí ou aqui no Brasil, depende. Aqui se vc não tiver um plano de saúde tb o atendimento é muito ruim. E vc tem q pensar tb em como vão viver aqui, por melhores condições q o país está, ele aí está empregado. Qdo chegar aqui? Ele vai demorar pra conseguir alguma coisa sem saber português. Vc vai estar com um bebezinho e tendo q cuidar dele, do marido q não sabe português, e ainda pensando em arrumar emprego. Enfim, tenta ficar calma, seus hormônios estão em turbulência, rsrsrsrs, com paciência as coisas vão melhorando.

    Bjo grande, estou torcendo por vc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc ta super certa minha linda.. to mais calma e to eserando a vontade e deus. Bjsssssssssssss e obrigadaaa

      Excluir
  9. Força Mary. Você já enfrentou momentos tão difíceis na vida. Já teve que encarar e superar tanta coisa em nome do amor, que agora precisa ter paciência, pés no chão e principalmente sabedoria para poder conduzir sua vida da melhor forma possível. Todas nós sabemos que não é fácil tudo isso que vem enfrentando diariamente, mas foi uma escolha, uma decisão sua e agora é preciso refletir bastante para não se arrenpender depois, ok? Então é isso: Força, Coragem e Fé em Deus que tudo irá melhorar e você terá Paz em seu coração para poder cuidar bem de seu marido e de sua linda filha que chegará em breve e trará muitas alegrias para sua família, um verdadeiro presente dos céus neste momento da vida. Bjs e se cuida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa muito obrigada pelas palavras de apoio!!! Obrigada mesmo! Vc ta certa! bjssssssss

      Excluir
  10. Minha linda, como diz meu habibi ("omg Ana...you are angry woman"...hihihihi). Já disse antes e vou dizer novamente FOCO no que importa, e sinceramente? Sua baby é o que importa agora. Vou te contar uma história. Tenho 3 filhos. Quando engravidei da última, filha do meu terceiro marido, ele me disse: EU NÃO QUERO FILHO HOMEM. Passei 9 infinitos meses angustiada sem saber o sexo do meu bebê e sem saber o que fazer. Se fosse hj confesso que mandaria ele para um lugar bemmmmmmmmmm longeeeeeeeeee se ele me dissesse isso mas...eu era mais nova e mais boba na época.
    Minha amada tive a sorte de ter 3 filhos, um homem e duas mulheres e te garanto que você e seu marido vão amá-los da mesma forma. Relaxe porque no Brasil ou em qualquer lugar do mundo o que importa são os pais. O sentimento de amor incondicional é o mesmo quando vemos aquela carinha linda pela primeira vez. Você vai ver.
    Quanto ao casamento (eu e minhas histórias...rsrsrsrs). Fui "casada" três vezes. Nunca no papel, nunca tive festa, e nunca com a aceitação da família deles mas convivi por 5 anos com meu primeiro marido, por 7 anos com o segundo e 12 anos com o terceiro. Quando os casamentos acabaram (por iniciativa minha) eu era adorada pela familia deles. A nora perfeita...bla bla bla....enfim. Tudo isso para te dizer que o que vale mesmo é o que vc sente. É o sentimento entre você e o seu marido e o fruto da união de vocês...SUA FILHOTA! o resto no fim se ajeita...vc vai ver. Continue firme, forte e guerreira! beijo no coração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nosssssssssa adorei saber suas historias, adorei vc ter compartilhado isso cmg.. me fez ver as coisas de outra forma. muiiito obrigada!!!
      Vou seguir seu conselho. bjs e td de bom para vc!!

      Excluir
  11. Mary, boa noite linda!
    Desde que voce iniciou o seu blog,que estou acompanhando, nessas horas é dificil dar algum conselho,pois quem está vivendo essa situação é voce,mas eu penso da seguinte forma:voce tem todo direito de fazer o que voce quiser da sua vida, se voce quer voltar para o Brasil e ter a sua filha aqui, então volte Mary,voce começou a viver agora e teve a coragem de fazer o que muitas pessoas não tem,voce correu atrás dos seus sonhos...Mas ainda não acabou, voce tem muita coisa pra realizar na sua vida, de a sua filha o que voce quer que ela tenha.
    Pense em voce,se quer terminar sua faculdade, então termine, a vida é sua e eu acho que voce tem todo o direito de escolher o que voce quer pra voce, e as outras pessoas é que precisam se adaptar.As vezes pensamos que a iniciativa e a adaptação tem que partir apenas de nós,carregamos uma responsabilidade enorme, mas nós não nos damos conta de que as vezes a responsabilidade não é apenas de nós,

    as pessoas a nossa volta tambem podem fazer alguma coisa por , não precisamos carregar tudo nas costas deixando de viver e futuramente isso pode trazer até uma certa frustração.Temos que fazer tudo que estiver ao nosso alcance pra tentar buscar a tal ¨felicide¨,mas isso não impede que olhemos em outras direções e encontremos um outro caminho.
    Faça o que voce quer fazer, se quiser voltar, volte, eu tenho certeza que voce será recebida de braços abertos por todos os amigos que voce com sua simpatia e brilho conquistou. Eu tenho certeza que seu marido vai entender e vai se adaptar tambem, pois ele te ama.
    Beijos linda e que Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha linda vc tem toda razao... realmente vou seguir meu coração. Obrigada pelas palavras de carinho e conselhos. bjs e td de bom para vc.

      Excluir
  12. Mary, o amor tudo ve tudo suporta e mesmo assim prevalece
    Se forte preserverante e confiante. Fiquei 2 meses distante do seu blog, tenho tanto para lhe dizer, so eu sei o que passo e so tu sabes o que passas, mais te digo que nao difere muito. Voce ama ele, e tem que abrir mao de certas coisas para ser feliz tenta fechar seus olhos e confiar nele, o seu habibi, porque ele eh um homem com tem o deen e sabe o que faz, vou esta gravida, muitas felicidades, filhos sao benxoes, mais sendo sincera gravidez nao esta nos meus planos Mary sabe porque?? porque no dele tbm nao, meu habibi me diz que so teremos filhos quando formos pra o Iraque de vez daqui a 5 anos e demos esse tempo para nos conhecermos melhor (tudo a volta de nos). Mary seja forte apenas isso e nao deixa nada abalar na sua gravidez se focalize nela, na sua filhinha, o que sustenta muitos relacionamentos sao os filhos e lembresse de que isso foi um passo grande que nao tem volta e quando voce der por conta voce ja eh do egito, de tempo ao tempo que tudo vai correr bem, e voce vai se acostumar a uma boa parte da situaxao, nao creio que o brasil seje uma boa para voces a sociedade transforma um cidadao, tenha fe que tudo vai dar certo na sua vida no egito se vive o islao ou em qualquer pais mulxumano... E me perdoa se escrevi algo que te machucou!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha linda obrigada pelos conselhos e pelo carinho.. tenho pedido mto a deus para me ajudar e td vai dar certo bjssssss

      Excluir
  13. Mary, vou escrever algo que espero que te faça sentir mais calma, que te de tranquilidade, Com relaçao ao exercito, eu acho que ele não irá pegar por várias razões... agora com relação ao que vc falou em relação de vir ao brasil e com 15 anos voltar para o Egito, isso é o que ele fala agora, no Brasil ele irá entender que a vida irá ser melhor pra vcs no Brasil, um exemplo, um amigo veio morar com a esposa br,no inicio falou que seria apenas por uns tempos, mas qdo ele conseuiu emprego, viu que realmente a vida era melhor aqui, em tudo melhores condiçoes, ele falou, "realmente no meu país jámais conseguiria dar uma boa vida pra minha familia, Brasil eh melhor, aqui tenho bom trabalho e lá nao, então meu amado egito é apenas para ferias e brasil trabalho e melhores condiçoes de vida" entao o que ele fala de fciar por pouco no brasil é o que ele fala agora , quero ver qdo a vida estiver melhor aqui pra vcs ele muda, nao fica sofrendo antes da hora. Fica com DEus Mary. :)

    ResponderExcluir
  14. salam, besitos muchos para es niñita (Maryen), que está dando vida a otra niñita(Jasmin)
    desde Argentina.

    ResponderExcluir
  15. Noura Mohamed Ali28 de abril de 2013 13:34

    Ola Maryem, queria te dar os parabens pelas informacoes super uteis que voce posta em seu blog, (ate te mandei um email mas acho que voce recebe tantos que nem viu ne rsrsss)de verdade, na minha vida tudo aconteceu mais o menos assim como voce e ja faz 4 anos que vivo em Cairo , concordo com voce em muitas das informacoes que voce tem passado pra alertar as nossas meninas ai no Brasil e de alguma forma tambem me sinto responsavel por elas so que nao tenho nenhum blog porque nao tenho dom de escrever bem assim como vc hhh e tambem nao e necessario pois o seu ja e bem completinho ne :-), Um beijao menina, se cuida , felicidades pra voce com tua nenem e quando vier passear aqui no Egito avisa pra gente ta bom?

    ResponderExcluir
  16. Noura Mohamed Ali29 de abril de 2013 11:13

    Ola Maryem, eu li seu post em que voce fala sobre a adaptacao aqui, acredito que voce, assim como eu, e muitas outras ficaram gravidas logo depois do casamento, entao queria tambem alertar as habibas que estao pensando em vir aqui pra viver com seus habibs que ao chegarem aqui nao se deixem levar pela euforia da chegada e procurem viver cada faze da sua nova vida sabe, se decidirem que querem casar mesmo, casem, depois tentem se adaptar primeiro a essa nova vida aqui, novos costumes, com a comida, com seu marido, pede pra ele te ajudar com um emprego, aqui existe uma procura enorme por estrangeiros que falem outras linguas pra trabalhar de secretaria, operadora de turismo, professora, e tudo ganhando mais que os egipcios, entao eu so queria pedir pras habibas que pensam viver aqui no futuro, que nao vao muito pela cabeca dos habibis, porque se depender deles, voce fica gravida ja na noite de nupcias, e com isso voce vai sofrer e muito , vai se sentir uma inutil, ficar presa em casa, e isso e uma coisa desnecessaria, no minha opiniao, pois voce pode chegar aqui e logo depois do casamento falar pro seu habibi te ajudar arranjar um trabalho, ele com certeza vai procurar pra voce o melhor dos empregos e isso e muito importante pra adaptacao aqui, pois de uma vez so voce mantem tua independencia, tem convivio social, nao so com a familia dele, conhece o lugar e aprende a lingua.
    Depois de uns meses voce estara pronta pra engravidar e ter seu bebezinho sem se sentir so, inutil, e ficar se estressando e estressando o bebezinho que esa pra vir ne, Pois quando as pessoas decidem se casar ai no Brasil elas nao pensam assim? vamos por partes..casamento, viver a faze de recem casada, depois filhos sem pressa? entao porque que aqui nao pode ser do mesmo jeito? quando eu cheguei aqui conheci uma brasileira que vivia aquia ha muitos anos, e ela me disse exatamente assim " Olha eu quero to te falando essas coisa mas nao e pra assustar nem muito menos ditar o que voce deve fazer da tua vida, nesses 30 anos que eu estou aqui eu vi muitas brasileiras como voce, entao a gente fala, pela experiencia da gente, pro bem dessa familia nova que esta se formando" Entao mininas que lerem meu comentario, e ate voce Maryem, so acho legal que as meninas tenham o quanto mais informacao possivel pra poder aproveitar ao maximo a vida aqui, eu sofri muito, passei por tudo que a Maryem passou e um pouco mais, teve varias noites de eu estar sozinha com minha filha de 5 meses, ardendo em febre so chorando, e eu nao podia sair pra levar ela num medico porque nao sabia arabe, nao tinha com quem ir e meu marido estava viajando, sofri demais, e hoje, levo ela sozinha ao medico, tomar vacina e nao dou satisfacao pra ninguem. e nao gostaria que ninguem mais passasse o que eu passei, Espero que esse comentario seja mais informativo do que ofensivo ou qualquer outra coisa, Beijos pra todas.

    ResponderExcluir

  17. adorei suas palavras e estou com um kurdistan é bem isso mesmo

    ResponderExcluir

Oie! Obrigada por participar!
É um prazer receber você aqui.
Beijos, Mary